Tudo sobre Métodos Anticoncepcionais - Itesc
BLOG ITESC | Dicas de saúde

Tudo sobre Métodos Anticoncepcionais

Pílula anticoncepcional engorda? Mito ou verdade? Saiba isso e muito mais!

Os métodos anticoncepcionais são utilizados por mulheres em idade fértil que querem evitar uma gestação indesejada. O mais usado pelas brasileiras é a pílula anticoncepcional, que é a escolha de 60% das mulheres. Neste artigo vamos tirar as principais dúvidas na hora de saber qual é o método contraceptivo mais indicado para cada mulher.

A eficácia do método anticoncepcional depende de como é utilizado. Se for de maneira correta, conforme a orientação, a maioria deles é equivalente, tanto o método hormonal, o uso do preservativo, DIU ou laqueadura.

No vídeo a seguir a Ginecologista e Obstetra, Dra. Isabel Biz de Luca, explica as principais dúvidas em relação aos métodos anticoncepcionais. Assista:

 

Para saber qual escolher, é preciso procurar um profissional. Ele vai detalhar o perfil do paciente, verificar se este tem alguma contra-indicação, a idade, se é tabagista, se tem vontade de engravidar nos próximos dois anos, porque tudo influencia na escolha. O ideal é conversar com o ginecologista para definir qual utilizar.

 

Como escolher o método ideal?

Alguns fatores são determinantes na hora de escolher qual método utilizar.

- Se possui alguma doença;

- Contraindicações ao uso de hormônios;

- Idade da paciente;

- Se é tabagista;

- Se pretende engravidar nos próximos um ou dois anos.

 

O ideal é conversar com o ginecologista para que juntos possam definir.

 

Pílula anticoncepcional

A pílula anticoncepcional é utilizada diariamente.

 

Efeitos colaterais no uso contínuo da pílula:

Alguns tipos de pílula aumentam o risco de trombose, de Acidente Vascular Cerebral e Isquêmico em pacientes que tem fatores de risco, como obesos, sedentários, com mais de 35 anos, tabagistas, alguns tipos de hormônio aumentam este risco. Por isso a importância de saber que o método que funciona não será igual para todas as pessoas.

 

Pílula engorda?

Alguns tipos de hormônio aumentam a retenção líquida, a pessoa fica mais inchada e aparenta ter ganhado mais peso.  A redução da testosterona que é um hormônio, com o uso da pílula anticoncepcional também diminui a massa muscular, isso aumenta o ganho de peso, aumenta a celulite, mas depende o tipo de hormônio.

 

Medicamentos podem interferir na eficácia dos métodos anticoncepcionais?

Sim. Existem alguns tipos de antibióticos, antidepressivos, retrovirais, fitoterápicos, podem alterar o efeito do anticoncepcional. Por isso, é importante sempre perguntar ao médico ou ler a bula se há alguma alteração. Se tiver, é preciso utilizar o preservativo durante o período que estiver tomando remédios.

 

Uso contínuo pode afetar na fertilidade?

Não. Na verdade, o uso contínuo não interfere. Algumas pacientes utilizam métodos contínuos de anticoncepcionais, ficam dois, três anos sem menstruar, pelo uso da progesterona. Isso também não causa problemas, quando a paciente parar de utilizar o medicamento, pode demorar alguns meses para regular o ciclo menstrual, mas vai voltar a menstruar normalmente, ovular e tem chance de engravidar se estiver em idade fértil.

 

 

Pílula do dia seguinte

Um método também muito conhecido é a pílula do dia seguinte, que deve ser utilizada apenas em caso de urgência. O ideal é que seja nas primeiras 72 horas depois do ato desprotegido, pois quanto mais passa o tempo, diminui a eficácia. Além disso, tomar a pílula do dia seguinte com certa frequência, também diminui a eficácia, porque dessa maneira, são feitos picos hormonais, o que pode induzir a ovulação e a mulher ter possibilidade de engravidar.

 

Injeções:

Quem precisa de um método hormonal e tem dificuldade de lembrar-se de tomar a pílula diariamente, pode optar pelo uso da injeção, mas é preciso verificar as contra-indicações para decidir qual utilizar.

 

Há dois tipos de injeções:

- As combinadas, com estrógeno e progesterona (mensais);

- As com progesterona (trimestrais).

 

DIU:

Outro método eficaz e que está sendo bastante procurado é o DIU. A colocação do DIU feita no consultório, sem anestesia, não no bloco cirúrgico, pode resultar em uma cólica leve na mulher. Algumas pacientes sentem bastante dor, outras não sentem nada, isto depende da sensibilidade de cada pessoa.

 

- O DIU pode ser colocado em ambulatório;

- É indicado para pessoas que não tem histórico de doença inflamatória pélvica;

- O tamanho do útero também influencia se pode ser colocado ou não.

 

Também existem dois tipos de DIU:

- O de cobre;

- A base de hormônio (progesterona).

 

Lembrando que métodos contraceptivos não são apenas para mulheres!

Os homens que acham que somente é dever da mulher utilizar algum método contraceptivo, estão enganados. Há o preservativo masculino e a vasectomia, procedimento que pode ser escolhido por aquelas famílias que não desejam mais ter filhos. É um método bem eficaz, mais do que a laqueadura, que é feita na mulher. Vasectomia é um método simples e muito seguro, que não diminui o libido nem a ereção.

 

Atenção

Lembre-se que é necessário procurar orientação médica e é importante salientar que os métodos contraceptivos não previnem doenças sexualmente transmissíveis. Para prevenir doenças é necessário utilizar os métodos de barreira, que são o preservativo masculino ou o feminino.

 

Por:

Dra. Isabel Biz De Luca

Formada na Faculdade de Medicina, pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc - 2007 a 2013). Fez residência em Ginecologia e Obstetrícia no Hospital Ernesto Dornelles, em Porto Alegre de 2014 a 2017. CRM 19602 / RQE 15052.

Quer ajudar outras pessoas? Compartilhe este conteúdo no seu Facebook através dos botões abaixo! Fique ligado em nossas redes socias (Facebook , Instagram e YouTube ), em breve novos conteúdos.

 

Conheça nosso convênio de saúde!

São mais de 12 mil profissionais credenciados na área da saúde. Conheça todos os nossos benefícios.

Notícias relacionadas - Dicas de saúde

VER MAIS